Após licença de Jobs, resultados da Apple surpreendem (Será?)

Saiu agora no Folha Online algo que foi temido alguns posts atrás.

A Apple informou nesta quarta-feira um lucro trimestral que superou a estimativa dos analistas de Wall Street. A companhia divulgou previsões que agradaram investidores, o que fez com que suas ações subissem até 10%.

A empresa disse que seu lucro líquido no primeiro trimestre fiscal, encerrado em 31 de dezembro, subiu para US$ 1,61 bilhão (US$ 1,78 por ação), contra US$ 1,58 bilhão (US$ 1,76 por ação), um ano antes.

[…]

O resultado coroa um mês tumultuado para a empresa, que enfrenta preocupação crescente dos investidores sobre a queda no consumo e os planos de sucessão na empresa, depois que o executivo-chefe Steve Jobs tirou uma licença médica até junho.

Steve Jobs

Agora vamos a critica. Ninguém notou algo estranho? Algum acontecimento meio inexplicável no valor das ações? Ninguém?

 

Prestem atenção: “A Apple informou nesta quarta-feira um lucro trimestral que superou a estimativa dos analistas de Wall Street. A companhia divulgou previsões que agradaram investidores, o que fez com que suas ações subissem até 10%.”

Num post passado foi discutido a grande chance das ações da Apple desvalorizarem devido a suposta má condição de saúde de Steve Jobs. Não é estranho isso não ter acontecido? É! Porém, a Apple assumiu uma excelente estratégia para “driblar” o impacto que uma notícia dessas causaria em sua economia interna. Percebam como a informação e as notícias influenciam na economia. Não há dados e estatísticas que comprovem que a Apple superou a estimativa do trimeste, há somente os dados e as estatísticas que a Apple divulgou (que não necessariamente são reais). Isso se faz para acalmar os investidores e até mesmo ajudar a empresa a crescer, pois assim, quando a confiança é elevada, mais pessoas irão investir. É como se nós aqui do blog anunciássemos que as nossas visitas diárias são bem maiores do que na realidade, só para obter mais conceito e mais confiança daqueles que nos acompanham.

 
Isso não é uma critica a Apple (Para falar a verdade, admirei essa gingada que eles deram no mercado). Gosto só de mostrar como a mídia e a informação (que normalmente é equivocada) geram muito, muito, mas muuuuuuuito impacto na economia. Portanto, não acredite 100% naquilo que a imprensa diz. Muita coisa nela lhe induz a pensar o que eles querem. É legal dar uma filtrada na notícia e pensar o que ela quer passar para ti, que idéia eles querem lhe passar. O legal é tentar ver o que eles querem esconder.

 
Uma coisa é certa: se EU fosse investidor, não olharia TV nem leria jornais. 😛

 

Veja aqui o post passado caso você não tenha entendido

Anúncios

Samsung tem como objetivo 10% do mercado mundial das câmeras digitais

Samsung
Segundo Bong Soo Kim, vice-presidente de marketing da Samsung, a empresa continha 9% do mercado mundial de câmeras digitas em 2008, sendo que as líderes do mercado Canon e Sony continham 20% e 17% respectivamente.

Na CES 2009 (2009 International Consumer Electronics Show) em Las Vegas, que ocorreu semana passada, a Samsung teria apresentado o sou novíssimo line-up de câmeras digitais para o primeiro semestre desse ano.

Kim afirma que o ano de 2008 foi duro para todas as empresas de câmera digital e que todas haviam vendido menos do que o esperado.

“A crise econômica mundial fez com que os consumidores gastassem menos. Agora as pessoas pensam com mais cuidado com o que elas vão gastar.” – Disse ele – “Mas temos esperança de que será melhor após os primeiros seis meses”, acrescentou.

Ele disse que a demanda e a procura continuará a mesma em países desenvolvidos como Estados Unidos, China, Austrália e Ucrânia, já que os consumidores estão com medo de gastar, mas que a demanda em países em desenvolvimento tende a crescer.

Quando perguntado se a Samsung iria diminuir os preços em países em desenvolvimento para aumentar o mercado, Kim afirmou que a empresa estava mais preocupada em ganhar mais respeito e uma boa imagem no mercado, e por isso, estavam focados mais em fazer câmeras de qualidade do que fazer câmeras baratas.

Fonte: The Nation

Alguém aí tem uma Samsung?

Introdução Básica a Fotografia – Parte II

Parte I – Parte II

Nessa foto foi usada a prioridade de velocidade. Eu NÃO QUERIA que o fundo congelasse, então acompanhei o carro com o obturador em 1/200. A Câmera calculou que se precisava de f/8.0

Nessa foto foi usada a prioridade de velocidade. Eu NÃO QUERIA que o fundo congelasse, então acompanhei o carro com o obturador em 1/200. A Câmera calculou que se precisava de f/8.0

Modos de exposições automáticas (AE)

Na maioria das câmeras digitas você poderá encontrar variedades de modo de exposição, normalmente indicados como:

Prioridade de abertura AE (Av ou A)
Prioridade de velocidade AE (TV ou S)
Programa AE (P)
Manual (M)

Dial
Prioridade de abertura: Este modo lhe possibilitará escolher a abertura do diafragma (f-stop) fazendo com que a câmera calcule automaticamente a velocidade necessária do obturador para obter uma foto com a exposição correta. A utilização desse modo se torna muito conveniente em condições de pouca luz, em que é melhor deixar a lente mais aberta o possível (deixando o número do f-stop menor.)

Prioridade de velocidade: usando o modo de prioridade de velocidade lhe dará a opção de escolher a velocidade que você quer que o obturador use, fazendo com que a câmera calcule a abertura necessária. Esse modo é muito útil em fotos de ação, em que o objetivo é congelar a foto.

Programa: Esse ajuste deixa que todas as decisões sejam tomadas pela própria câmera, de modo que você nem precise pensar na exposição. O uso desse modo lhe deixará limitado às escolhas da câmera.

Manual: O modo manual permite que você “mande” na câmera por completo. Você que decide tudo: velocidade, abertura, balance de branco etc.

Tem mais coisa vindo aí 😀

Meu Flickr

Câmera Polaroid pode voltar ao mercado em 2010

Polaroid 1000Para quem achou que a era das câmeras de filme havia chegado ao fim se enganou. O modelo de câmera Polaroid ainda terá sua última investida para se re-lançar no mercado.

Foi anunciando hoje de manhã no PhotographyBLOG que as câmeras de “Filme Instante” da Polaroid (câmera de filme que revela a foto no momento em que foi tirada) poderão voltar ao mercado em 2010. A compania “The Impossible Project” comprou a fábrica da antiga Polaroid com o objetivo de recomeçar e reinventar a produção de câmeras analógicas de filme integral como as Polaróides. O filme será diferente, segundo o blog, e o nome da marca será outro.

A marca Polaroid também migrou para a era digital da fotografia, principal razão da compania “The Impossible Project” querer assumir a fabricação de câmeras de filme, desde que a Polaroid parou de produzi-las em Junho de 2008.

É uma investida louca. Eu diria que é o último suspiro do filme com o objetivo no mercado. Um item desses será para colecionadores. Mesmo assim, desejo sucesso para a tentativa dessa louca investida.

Como diria Alexandre Pretto: “Vou criar um site sobre o desafio de fazer todo mundo andar a cavalo/carroça de novo, ao invés de andar de carro”

Introdução Básica a Fotografia – Parte I

5 segundos de exposição com f/22 - Uso de tripé é necessário.

5 segundos de exposição com f/22 - Uso de tripé é necessário.

Parte I – Parte II

Olá leitores do blog infoproject. Meu nome é Thomas Miller, trabalho com fotografia e edição de imagens e entro no blog com o objetivo de ajudar a equipe infoproject no mundo da fotografia que, acreditem e mim, é um lugar vasto e belo em que você não se cansará de explorar.

Este é meu primeiro post, e como posteriormente trarei notícias do mundo fotográfico preciso primeiro dar uma breve explicação do funcionamento de uma câmera (de qualquer uma, das compactas as profissionais), ou simplesmente mostrar como funciona a fotografia.

Duvido que nunca na sua vida você não tenha parado para se perguntar como uma caixa pequena como uma máquina fotográfica poderia reproduzir imagens exatamente idênticas ao momento. A fotografia não é um bicho de sete cabeças. Acredite em mim: existem pessoas que são capazes de produzir câmeras caseiras. Depois que você entender um pouco como funciona a arte de fotografar você vai começar a ver as coisas com outros olhos. Eu, por exemplo, passei a ver as cores e a iluminação de maneira muito diferente.

Observe que para congelar a água foi necessário 1/4000 s

Observe que para congelar a água foi necessário 1/4000 s

Antes de mais nada, é preciso esclarecer duas coisas: fotografia não captura momento, captura luz (é, infelizmente quando você ver um fantasma ele não sairá na foto, a não ser que ele tenha a capacidade de refletir luz, coisa que até

as mais inúteis pessoas incrivelmente conseguem fazer); Fotografia significa “escrever com a luz”, grossamente falando, claro (eu matava as aulas de grego, mas ouvi dizer que “foto” vem do phos, que significa luz, e “grafia” do graphis, que significa escrever ou desenhar).

A fotografia tem três valores básicos (“universais”, usados em todos os tipos de câmeras): Velocidade do obturador (tempo que o sensor ou filme é exposto a luz), abertura da lente (o quanto de luz a lente permite entrar) e a sensibilidade do sensor (sensibilidade ISO). A imagem capturada é o resultado do balanceamento desses valores. Existem outros valores de “menor importância” como o foco e o balance de branco que pretendo explicar depois. Vamos primeiro nos concentrar nos primeiros três valores:

Propriedades da foto

Velocidade do obturador: Também chamado de tempo de exposição. Esse valor corresponde a quanto tempo o sensor da câmera ficará “capturando” a luz. Quanto mais luz estiver no ambiente, menos tempo de exposição será necessário para obter a quantidade de luz ideal (a velocidade será maior).

Quanto menos luz, mais tempo (velocidade menor). Há algumas câmeras que mesmo não sendo profissional mostram este valor, se você abrir as propriedades da foto que você tirou com a sua câmera ela provavelmente vai acusar algo como 1/60. Esse “1/60” quer dizer que a foto foi tirada em “um segundo dividido por sessenta”, o que é cerca de 0,0166666 segundo.

Existem câmeras de linha profissional que chegam a 1/8000 (equivalente a 0,000125 segundo). É importante lembrar que essa função é muito útil para “congelar” a foto, como um “splash” na água. Também é possível deixar maior tempo de exposição, como 10 segundos. Durante esses dez segundos tudo de luz que estiver “no caminho” será “capturado”, dando o efeito de movimento. É importante cuidar também que tempos abaixo de 1/60 se torna muito perigoso caso você queira uma foto estática: a chance de a foto sair tremida é muito grande.

Abertura da lente ou f-stops: É a medida do tamanho da abertura na lente. Lembre-se de que, quanto maior o número de f-stop, menor a abertura.

Quanto menor o número de f-stop, maior a abertura e mais luz a lente vai deixar passar até o sensor. Exemplo: f/1.8 é mais aberto e deixa passar mais luz do que com f/4.0, o que deixará a imagem mais clara.

Sensibilidade ISO: É a capacidade que o sensor tem de capturar a luz. Quanto maior o valor ISO, maior é a facilidade de capturar luz, assim não necessitando de um tempo de exposição muito curto ou um f-stop muito aberto. Mas cuidado: quanto maior o ISO, pior é a qualidade da imagem, deixando-a mais granulada. Quanto menor o ISO, melhor é a qualidade da imagem, deixando menos granulada. Por isso recomenda-se o uso de ISO quanto possível. Exemplo: ISO 1600 deixou a imagem mais clara e granulada, ISO 100 deixou a imagem mais escura e menos granulada, com maior qualidade.

Essa foto ficou exposta por 5 segundos. Note que os carros deixaram rastros e a luz assumiu um formato de estrela devido a lente

Essa foto ficou exposta por 5 segundos. Note que os carros deixaram rastros e a luz assumiu um formato de estrela devido a lente

A imagem obtida então será o equilíbrio de todos esses valores. A sua câmera compacta automática também os usa (alguns modelos até indicam esses valores ao dar o meio-clique para preparar para a foto), não só as profissionais, sendo que as compactas se baseiam nos valores que elas acham importantes, e mexendo manualmente nelas você que passará destacar o que é importante ou não na fotografia. Você passará a mandar na câmera, não vivendo subordinado ao limites da inteligência artificial da máquina.

Por enquanto essa é a parte I. Mandarei mais detalhes! Por favor, deixem suas dúvidas nos comentários. O esclarecimento da sua dúvida é muito importante para mim.

Abraços!

Thomas Miller.

Se estiver interessado em minhas fotografias, este é o meu Flickr